sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Mapeando Locais de Roubo em Belém usando o Google Earth.

BELÉM - PRINCIPAIS LOCAIS DE ROUBO EM 2010


Luiz Henrique Almeida Gusmão
Geógrafo e Licenciado pela Universidade Federal do Pará (UFPA)
 Bolsista Desenvolvimento Tecnológico Industrial (DTI) no Laboratório de Sensoriamento Remoto na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA AMAZÔNIA ORIENTAL)
Proprietário do Blog Geografia e Cartografia Digital de Belém
Estagiou no Laboratório de Sensoriamento Remoto na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária da Amazônia Oriental (EMBRAPA)
Instrutor/Monitor dos softwares: Philcarto, Phildigit, Google Earth e Adobe Illustrator aplicado a Cartografia Temática
Contato: henrique.ufpa@hotmail.com ou luizhenrique.ufpa@yahoo.com
Cursos, mapas, cartogramas, Palestras e Consultoria em Geotecnologias - (091) 98306-5306 (WhatsApp) 


1. INTRODUÇÃO


A Declaração Universal dos Direitos Humanos estabelece no art.3, que, "todo indivíduo tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal" e adiciona no art.5: "ninguém será submetido à tortura nem a pena ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes" (Waiselfisz, 2012). Porém, diariamente somos surpreendidos com notícias sobre homicídios, furtos, roubos, entre outros tipos de violência contra adultos, crianças, mulheres, adolescentes e idosos em diversas partes do mundo, nos causando indignação contra aqueles que praticam tais atos de violência. Em Belém, os casos de roubos vem reduzindo gradualmente, mas continuam altos, onde os órgãos competentes devem tomar medidas emergenciais na prevenção desse delito. Nesse sentido, procuramos identificar e espacializar as principais vias e áreas com maior número de roubos, com base nos dados disponíveis pela Polícia Militar em 2010.


Palavras-chave: Belém. Roubo. Policia Militar. Google Earth



2. MATERIAIS E MÉTODOS


Nessa postagem, foi utilizado o software Google Earth na identificação e espacialização dos principais pontos e as vias com número de roubos na cidade, assim como o software Excel 2010 na representação de dados com gráficos.



3. DESENVOLVIMENTO
3.1 Roubos em Belém

De acordo com Código Penal Brasileiro, o art.157 sobre roubo, é definido como: "O ato de subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outro, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou não, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzindo à impossibilidade de resistência". Nas metrópoles, é um dos crimes mais comuns que acontecem, com o auxílio de armas brancas (facas, canivetes, etc) ou de fogo (revólveres e em casos raros, as metralhadoras e as pistolas), sendo mais comuns as armas de fogo. 
Em Belém, as maiores vítimas são os pedestres e os objetos que são levados mais constantemente são celulares e cordões (Polícia Militar, 2013), portanto, é preciso ter muita atenção quando caminhar em algumas ruas.

Gráfico 01. Belém - Ocorrências de roubos em 2008, 2009 e 2010


Fonte das informações: Polícia Civil (2010)
Fonte do gráfico: Autoria própria (2013)



Segundo dados da Polícia Militar (2010), as ocorrências de roubo vêm reduzindo em Belém, porém continuam elevadas e a sensação de insegurança prevalece em diversas partes da cidade, onde em alguns bairros os casos de roubo são comunsDe acordo com o gráfico, os casos de roubo diminuíram (23,6%), porém não há motivo para ser comemorado com esses dados, pois ainda permanecem elevados e constantes (Acima de 30.000 roubos), onde deve haver uma intensificação do policiamento tanto no centro da cidade, quanto na periferia, como forma de coibir os roubos, ao mesmo tempo, deve ser intensificado políticas mais eficazes na promoção de empregos, na qualificação profissional e educacional de áreas mais vulneráveis, no desmantelamento de "bocas de fumo" (Locais com produção e manipulação de drogas ilícitas), na instalação de "boxes" móveis da Polícia Civil e na redução gradual das desigualdades sociais




3.2 Pontos com maiores casos de roubo em Belém 2010 

Segundo o jornal O Diário do Pará, com base nos dados disponíveis pela Polícia Militar em 2010, as ruas mais perigosas da cidade são, em ordem:

Primeiro Lugar: Av. Augusto Montenegro (Complexo do Entroncamento no limite entre Belém e Ananindeua)
Segundo Lugar: Av. Almirante Barroso (Bairro de São Brás)
Terceiro Lugar: Av. Pedro Álvares Cabral (Bairro da Sacramenta)
Quarto Lugar: Av. Bernado Sayão (Bairro do Jurunas)
Quinto Lugar: Av. Perimetral (Bairro da Terra Firme)

Com base nessas informações, foi espacializado tais pontos no Google Earth como forma de visualização por imagens de satélite na tentativa de alertar e de redobrar a atenção dos moradores da cidade e dos turistas que vem para a cidade.



Figura 01. Complexo do Entroncamento entre os bairros (Marambaia, Guanabara e Castanheira em Belém) e (Atalaia e Guanabara em Ananindeua).




Fonte: Autoria própria no Google Earth (2013)




Fonte: Google Earth

No Complexo do Entroncamento no limite entre Belém e Ananindeua foram 710 roubos (Polícia Militar, 2010). Acreditamos que a circulação constante de pedestres e de automóveis na saída de Belém seja o principal motivo de atração de meliantes, assim como a reduzida iluminação pública nos arredores dessas vias e da imensa quantidade de becos e passagens estreitas nessa área contribuem para a fácil fuga dos assaltantes.



Figura 02. Av. Almirante Barroso e arredores (Bairro São Brás/Canudos)


Fonte: Autoria própria no Google Earth (2013)

Figura 03. Av. Almirante Barroso (São Brás)

Fonte: Google Earth

Na Av. Almirante Barroso no bairro de São Brás foram 604 roubos (Polícia Militar, 2010). Novamente a intensa circulação de pedestres e de veículos também atraem muitos meliantes, somado a área de comércio existente na Av. Cipriano Santos e Av. Almirante Barroso. Nos arredores do Terminal Rodoviário de Belém e da Praça da Leitura também devemos ter uma atenção redobrada quando estivermos circulando por essas redondezas.


Figura 03. Av. Pedro Álvares Cabral e arredores (Sacramenta/Telégrafo/Barreiro)


Fonte: Autoria própria no Google Earth (2013)

Figura 04. Av. Pedro Álvares Cabral perto da Ponte do Barreiro (Barreiro)

Fonte: Google Earth

Na Av. Pedro Álvares Cabral no bairro da Sacramenta foram 595 roubos (Polícia Militar, 2010). Essa área é famosa pelos roubos, principalmente nas proximidades da Ponte do Barreiro que na verdade fica na Sacramenta, na Ponte do Galo (Divisa entre Telégrafo/Sacramenta e Pedreira) e na Pass. Mirandinha (Sacramenta/Barreiro). Admitimos os pontos em destaque como os mais propensos aos roubos, por informações repassados por familiares, amigos, amigos de amigos, colegas e reportagens nos jornais. Nessa localidade, há "bocas de fumo" (Áreas ou casas com manipulação de drogas ilícitas) em alguns becos e passagens estreitas com difícil acesso da polícia, o que vem justificando a frequência desse delito para a aquisição de drogas ilícitas nas mesmas.


Figura 07. Avenida Bernado Sayão (Bairro do Jurunas)


Fonte: Autoria própria no Google Earth (2013)

Figura 8. Avenida Bernado Sayão no Jurunas

Fonte: Google Earth

Na Av. Bernado Sayão no bairro do Jurunas foram 573 roubos (Polícia Militar, 2010). Apesar de ser uma avenida, é muito estreita com intensa circulação de pedestres e automóveis em geral. Destacamos o cruzamento com a Rua Osvaldo de Caldas Brito e a Rua dos Mundurucus como os principais pontos suscetíveis ao delito. Nessa área há conglomerados de ocupações espontâneas, conhecidas aqui como "baixadas" e "invasões", com vias secundárias estreitas e com precárias condições de infraestrutura básica, onde também há "bocas de fumo" (Áreas ou casas com manipulação de drogas ilícitas), contribuindo para a manutenção do tráfico de drogas nessa área e propiciando o roubo por usuários.


Figura 09. Av. Perimetral (Bairro da Terra Firme)



Fonte: Autoria própria no Google Earth (2013)

Figura 10. Av. Perimetral na Terra Firme

Fonte: Google Earth

Na Av. Perimetral no bairro da Terra Firme foram 313 roubos (Polícia Militar, 2010). A principal avenida da Terra Firme fica nas proximidades de vias e becos estreitos, onde historicamente é residência de populações com baixo poder aquisitivo, geralmente oriundos do interior do Estado do Pará e da Região Nordeste do Brasil, onde há precariedade de infraestruturas básicas (Abastecimento e distribuição de água potável; Acesso ao saneamento básico e fornecimento de energia elétrica). As características socioeconômicas da maioria dos moradores e geográficas do bairro contribuiu para o alojamento de pequenos e médios grupos de traficantes que disputam alguns pontos de comercialização de drogas, o que pode justificar a frequência de roubo nos pontos em destaque por usuários.

Com base nesses dados, foi elaborado um mapa no Google Earth Pro versão 2015, para espacializar todos os pontos com maiores ocorrências de roubo na cidade, como está abaixo: 


Mapa 01. Os pontos com maiores casos de roubo registrados em Belém no ano de 2010
Fonte das informações: O Diário do Pará com base nos dados da Polícia Militar 2010
Elaboração: Luiz Henrique Almeida Gusmão - Blog Geografia e Cartografia Digital de Belém


4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O software Google Earth Pro foi vital na representação cartográfica dos principais pontos de roubos em Belém no ano de 2010, com base nos dados disponíveis pela Polícia Militar de Belém. Nesse caso, as localidades em destaque devem ter um policiamento constante para coibir as práticas de roubo ou amenizar tal situação, assim como também servem para a alertar moradores da cidade e turistas que se deslocam para visitar a mesma. Grande parte dos pontos com grande número de roubos estão em áreas periféricas, onde as ruas são estreitas e com pouca iluminação. Porém, algumas estão em ruas de grande circulação de pessoas e em área de comércio.



5. REFERÊNCIAS.

Constituição Federal. Art 157. Inciso I. Roubo. Disponível em http:<<www.jusbrasil.com.br>>

O Diário do Pará. Dossiê Belém: 783 assassinatos em 11 meses. Polícia Militar 2010 http<<diariodopara.diarioonline.com.br. Belém. 2010>>


Software Google Earth. Disponível em http://www.google.com.br/intl/pt-BR/earth/.



WAISELFISZ, J.J. Mapa da violência 2012: crianças e adolescentes do Brasil. 1a Edição. Rio de Janeiro. 2012. CEBELA.